sexta-feira, 13 de setembro de 2013

GÁS


2 comentários:

  1. És realmente a mestra das aliterações, Lílian, das sonoridades mais recônditas da poesia. Sou suspeito de falar, mas penso que talvez aqui resida a verdadeira essência da arte poética, a busca de sonoridades, do ritmo e das palavras em si para veicular uma idéia, uma emoção, um sentimento.

    Senão, tudo seria bem mais fácil, não é? e quem diz fácil em Poesia...

    Belo texto, bela imagem que escolheste, a letra G de Grande brilhando do alto de sua chama. Meus aplausos, querida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo aliterações, notadamente quando elas são personagem do poema.
      Obrigada pelo comentários ligado no lance!
      Beijocas

      Excluir